Busca rápida
barra
Busca detalhada

Home > Notícias > Importação: quais são as opções de transporte de carga durante a pandemia?



Importação: quais são as opções de transporte de carga durante a pandemia?

12/05/2020 - Terça-Feira
Compartilhe:
Trazendo impactos a nível mundial, o novo Coronavírus traz à tona a necessidade de rever processos e considerar outras opções para o processo de importação

Importação: quais são as opções de transporte de carga durante a pandemia?

Pensando nisso, a Herco Freight resgatou um serviço que teve muita utilização nos anos 90: o Sea-air.

A pandemia causada pela COVID-19 trouxe mudanças para a rotina de todos - tanto na vida pessoal quanto corporativa. E, embora o impacto na vida dos empreendedores já seja uma realidade, as projeções revelam o que ainda pode acontecer.

O esperado é que 78% das pequenas empresas tenham queda de até 30% no faturamento durante o período de reclusão, segundo levantamento realizado pela Vhsys, startup de gestão empresarial. E não são apenas as pequenas empresas que sentirão as mudanças - o cenário é incerto para todos: inclusive para corporações que trabalham com importação de matérias primas, insumos e tudo ligado a cadeia logística e de produção. Agora, mais do que nunca, esses produtos necessitam chegar para que tudo se normalize.

“Empresas aéreas que transportam passageiros, também transportam cargas, tiveram os seus voos cancelados”, diz Márcio Freitas, Vice-Presidente Internacional da Herco Freight. “Dessa forma, os transportes de mercadorias, para a importação foram migrados para voos cargueiros e a oferta de espaço se tornaram limitados”.

Marcio segue dizendo que esse processo aumentou - e muito - a demanda de carga. “Estamos falando de um volume maior do que as empresas aéreas podem atender. Isso causa um imenso acúmulo de cargas, uma espécie de fila, e consequentemente, inflaciona as tarifas por quilo e aumenta o frete para importação”, aponta.

Visão de especialista

É fato que a movimentação do transporte aéreo foi afetado: segundo relatório disponibilizado pelo site especializado em aviação, FlightRadar24, o número de voos já tem queda de 64,86% quando comparado ao tráfego de um mês atrás.

“Diante de um suposto término da quarentena, a prioridade de envios aéreos será para matéria-prima. Por esse motivo, os fretes não devem reduzir. Levará um tempo para que a demanda seja normalizada”, informa Márcio.

Solução

Pensando nessa situação, a Herco Freight decidiu reativar seu modelo de serviço Sea-air, bastante conhecido nos anos 90. Combinando frete aéreo e marítimo, o modelo oferece velocidade, oferta de espaço e menor preço por quilo para embarques provenientes da China, principal parceiro comercial do Brasil.

Com 52 pontos nos Estados Unidos e um ‘networking’ de escritórios em 190 países, a Herco Freight atende diferentes aeroportos no país, entre eles: Viracopos, Guarulhos, Curitiba, Recife e Manaus.

Com anos de experiência em vários modais, a Herco Freight resgata o modal Sea-Air como opção certeira para aqueles que dependem da importação, afinal, os prazos podem ser de 19-20 dias.

“Queremos contornar a crise momentânea com opções acessíveis. Nossa equipe faz atendimentos personalizados, em mais de três idiomas, e está preparada para lidar com todas as demandas e exigências aduaneiras - tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos”, finaliza Márcio.

Saiba mais: http://www.hercoinc.com

Fonte: Dino Notícias





Compartilhe:




Comente