Busca rápida
barra
Busca detalhada

Home > Notícias > Galpões crossdocking GLP: eficiência e agilidade para operações logísticas



Galpões crossdocking GLP: eficiência e agilidade para operações logísticas

25/07/2019 - Quinta-Feira
Compartilhe:
Galpões logísticos que operam desta forma podem ser solução para negócios que procuram agilizar ainda mais as entregas ao consumidor final

Com o crescimento do comércio online, entregas mais rápidas são um fator estratégico no sucesso dos negócios. Para alguns setores, utilizar galpões logísticos como centros de distribuição (CDs), sem armazenagem de produtos por longos períodos, tem sido uma tática adotada com êxito. Neste tipo de operação, conhecido como crossdocking, o produto comprado pelo cliente é transportado para um CD, de onde é enviado para o consumidor final de forma direta. No sistema crossdocking o galpão logístico é utilizado como ponto de passagem, onde os produtos são conferidos, separados, reembalados e encaminhados para um novo destino o mais rápido possível.

Os principais usuários desse sistema são operadores logísticos e empresas de e-commerce – pela necessidade de entregas rápidas – e também companhias do setor alimentício, que transportam produtos perecíveis. Segundo o diretor de desenvolvimento e novos negócios da GLP no Brasil, Ricardo Antoneli, para esse tipo de operação, é importante que as instalações logísticas estejam preparadas para agilizar esse fluxo de produtos do fornecedor ao consumidor.

“Em nosso portfólio temos diversos galpões que foram especialmente projetados para operações crossdocking”, afirma o executivo. Nesses galpões são instalados docas em duas laterais opostas, que permitem a movimentação ideal. Ou seja: o recebimento dos produtos acontece de um lado e o embarque dos produtos devidamente redistribuídos/roteados do outro lado para o destino final.

“Na GLP, temos visto um aumento no número de empresas que procuram por galpões com estrutura para crossdocking, alavancado principalmente pelo setor de e-commerce nacional e operadores logísticos que atuam nos principais centros consumidores do País. Além disso, com as restrições de circulação de veículos de grande porte nas grandes cidades, a tendência é que a demanda por galpões crossdocking aumente ainda mais.”, acrescenta Antoneli.

O GLP Guarulhos, maior condomínio logístico da América Latina, é um dos exemplos de condomínio preparado para atender operações crossdocking, com três galpões construídos nesse formato. No pipeline de futuras entregas aproximadamente 19% dos galpões serão crossdocking.

Segundo o executivo, os galpões da GLP contam com infraestrutura completa e localização privilegiada, com alto padrão construtivo, “os nossos clientes têm vários ganhos operacionais, além do rateio dos custos das áreas comuns que um condomínio logístico GLP proporciona”.

Fonte: Página 1 Comunicação





Compartilhe:




Comente

Notícias Relacionadas