Busca rápida
barra
Busca detalhada

Home > Notícias > Qualidade de crédito do consumidor recuou 0,3% no segundo trimestre, revela Serasa Experian



Qualidade de crédito do consumidor recuou 0,3% no segundo trimestre, revela Serasa Experian

27/07/2010 - Terça-Feira
Compartilhe:

Regiões economicamente menos desenvolvidas puxaram a queda da qualidade de crédito
O Indicador Serasa Experian da Qualidade de Crédito do Consumidor, que avalia, numa escala de 0 a 100, a qualidade de crédito do consumidor – quanto maior, melhor a qualidade de crédito, portanto menor é a probabilidade de inadimplência, caso este consumidor venha a requerer crédito – registrou recuo de 0,3% no segundo trimestre de 2010, atingindo o valor de 80,3.

Segundo os economistas da Serasa Experian, este recuo é justificado pelo aumento acelerado do endividamento dos consumidores, especialmente a partir de meados do ano passado, estimulado pelas condições de crédito mais favoráveis (juros mais baixos e prazos mais longos), pela evolução do emprego e pelas medidas de isenções tributárias em determinados segmentos de bens duráveis, tornando atraente ao consumidor a aquisição destes bens via financiamentos.

Contudo, tal evolução do endividamento não foi acompanhada, na mesma proporção, pelos incrementos observados na renda. Este fato contribuiu para a redução da qualidade de crédito do consumidor (aumento do risco de inadimplência), verificado no segundo trimestre de 2010.

Vale a pena notar que apesar do recuo detectado no segundo trimestre, o Indicador Serasa Experian da Qualidade de Crédito do Consumidor ainda permanece em nível superior ao observado nos meses imediatamente anteriores à eclosão da crise financeira internacional (quarto trimestre de 2008), atingindo, neste segundo trimestre de 2010, a segunda maior cifra desde o terceiro trimestre de 2008.

Análise Regional
Na análise regional, verifica-se que as regiões Sul e Sudeste são as únicas a se situarem acima da média nacional (80,3), em termos de qualidade de crédito dos seus consumidores, registrando as marcas de 85,0 e 80,4, respectivamente. Em seguida temos o Nordeste, com 79,0, praticamente empatado com o Centro-Oeste (78,6). E, por fim, aparece a Região Norte com 76,5.

Comparativamente ao trimestre anterior (primeiro trimestre de 2010), as regiões economicamente menos desenvolvidas do país – Norte e Nordeste – registraram as maiores quedas na qualidade de crédito dos consumidores: -1,9% e -1,2%, repesctivamente. A região Centro-Oeste manteve a sua qualidade de crédito inalterada, e as regiões mais ricas – Sul e Sudeste – exibiram elevações (0,2% e 0,5%, respectivamente) na qualidade de crédito dos seus consumidores durante o segundo trimestre de 2010.

Análise por Rendimento Pessoal Mensal
Por faixa de renda, a classe que ganha até R$ 500 por mês é a que possui o menor índice de qualidade de crédito (75,7). No outro extremo, a classe acima de R$ 10 mil registra o melhor indicador, 94,0, seguida pela classe de renda de R$ 5 mil a 10 mil (92,9). Assim, a qualidade de crédito do consumidor tende a ser positivamente correlacionada com a sua renda.

Na classificação por rendimento mensal, o maior recuo na qualidade de crédito durante o segundo trimestre de 2010 foi observado nos consumidores que ganham até R$ 500,00 por mês (queda de 3,0%). Também foram observadas quedas trimestrais na qualidade de crédito dos consumidores dos extratos superiores de rendimento mensal: entre R$ 2.000 a R$ 5.000 (-2,4%), entre R$ 5.000 e R$ 10.000 (-0,8%) e mais de R$ 10.000 (-0,2%).

Somente os consumidores que ganham entre R$ 500 e R$ 1.000 por mês e entre R$ 1.000 e R$ 2.000 por mês acusaram elevação de suas qualidades de crédito no segundo trimestre de 2010: altas de 1,2% e 1,6%, respectivamente.

Metodologia do Indicador
O Indicador Serasa Experian da Qualidade de Crédito do Consumidor avalia, trimestralmente, o risco de crédito dos consumidores. É construído a partir dos scores computados a partir de uma amostra aleatória representativa de 450 mil pessoas físicas sem identificação, constantes da base de dados da Serasa Experian, com base nos modelos internos de avaliação de risco de crédito. O indicador varia numa escala de 0 a 100 e quanto maior, melhor é a qualidade do crédito (menor é a probabilidade de inadimplência). É segmentado por região geográfica e classe de rendimento mensal.

www.serasaexperian.com.br

Fonte: SERASA EXPERIAN





Compartilhe:




Comente