Busca rápida
barra
Busca detalhada

Home > Notícias > Empresários chilenos visitam Cuiabá e oferecem rota de exportação e importação para o Brasil



Empresários chilenos visitam Cuiabá e oferecem rota de exportação e importação para o Brasil

13/07/2010 - Terça-Feira
Compartilhe:

Nesta quinta-feira, 08, o vice-diretor da Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso - FACMAT, Jonas Alves de Souza recebeu uma comitiva com 10 empresários chilenos que fazem parte do ProChile, um escritório de fomento à exportação de produtos e serviços da Direção Geral de Relações Econômicas Internacionais do Ministério das Relações Exteriores do Chile. O grupo veio da cidade portuária de Iquique, onde funciona uma das mais importantes Zonas Francas da América Latina.

O sub-gerente da Câmara de Comércio de Indústrias, Serviços e Turismo de Iquique, Oscar Tapia Estay, foi o porta-voz do grupo, que está em Cuiabá para oferecer uma nova alternativa de rota de exportações e importações para o Brasil. "O Chile tem um acordo de livre comércio com mais de 50 países e as transações são feitas através do porto de Iquique. Muitos países querem comprar produtos do Brasil, mas devido à falta de logística e às altas taxas alfandegárias, acabam por não realizar o negócio", diz.

De acordo com Oscar, a comercialização de produtos brasileiros se daria em três etapas. "Os insumos brasileiros ingressariam ao Chile com taxas de alfândega a 0%. Depois esses produtos passariam por um processo produtivo no Chile, para cumprir a Regra de Origem, para que possamos usar o benefício do impositivo tributário. Por último o bem final é exportado aos países com tratado de livre comércio com o Chile", explica.

O vice-diretor da Facmat diz que há tempos o estado está interessado em realizar exportações via Oceano Pacífico e que vem estudando meios para alcançar este objetivo. "Mato Grosso é um dos maiores produtores do setor primário no Brasil e é um estado que cresce uma média de 10% ao ano. Queremos abrir caminho para o mercado internacional, mas para isso ainda precisamos resolver alguns entraves que impossibilitam a realização dos negócios. Vamos continuar a manter contato com o Chile para que num futuro próximo possamos estreitar nossos laços comerciais", concluiu Jonas.

Fonte: STUDIO PRESS





Compartilhe:




Comente