Busca rápida
barra
Busca detalhada

Home > Artigos > O papel da educação na logística


O papel da educação na logística

Por Eduardo Banzato*

Já que o Governo e o Congresso estão em plena discussão da reforma educacional no Brasil, abordando filosofia, religião, educação física etc., por que não destacar a importância da logística?

Segundo o professor Daniel Belluci Contro, diretor do Colégio Liceu Jardim, em Santo André (SP), uma das principais referências na formação educacional do País (Ensino Fundamental e Médio), as duas primeiras grandes áreas da inteligência humana, que se desenvolvem entre dois e sete anos e que impactam diretamente na formação de um profissional são: • a inteligência linguística e • a inteligência lógico-matemática.

“O ensino fundamental tem justamente este nome pois é neste período de ‘exuberância sináptica’ em nosso cérebro que se lança, principalmente por meio de estímulos, os fundamentos da inteligência, da personalidade e dos valores. Atualmente sabemos que 40% de nossa inteligência deriva de uma carga genética, mas que outros 60% vêm dos estímulos do meio. É a partir dos 12 anos que o cérebro humano já está 90% formado e preparado para encarar qualquer desafio (equações, problemas, abstrações, etc.). As ligações de neurônios (sinapses), que ocorrem durante o aprendizado, são infinitas e por isso que mesmo os mais velhos têm capacidade de aprender”, destaca o professor Daniel.

O treinamento após está etapa inicial (ex.: cursos de aperfeiçoamentos, especializações, etc.) é o grande responsável pelo refinamento das habilidades humanas adquiridas.

Nesse sentido, o Instituto IMAM defende a tese de que o ensino da “logística”, como um processo, deveria começar nessa fase, por meio de estímulos práticos em disciplinas como física, matemática, português, artes entre outras, integrando o ensino básico de preparo de qualquer ser humano, por meio de exercícios e problemas que os profissionais vão se deparar no futuro. Preparo para a vida, para as diferentes situações que ele possa enfrentar, empresarial ou pessoalmente.

Porque? Logística representa processos organizados, lógicos, bem construídos. Embora tenha origem grega, logística também vem do frânces “logistique”, que significa uma arte que trata do planejamento e realização de abastecimento, muito utilizado em operações militares, entre outras. Aliás, a logística sempre esteve relacionada com as áreas que cuidavam do planejamento de diversos componentes de uma cadeia de suprimentos, como armazenagem, distribuição de insumos para manutenção, vestuário, além de alimentos, saúde, transportes e etc.

Em uma abordagem mais ampla, ao mesmo tempo que a logística amplia sua abrangência de atuação por meio dos conceitos relacionados a gestão da Cadeia de Suprimentos (Supply Chain), se aprofunda em um universo de excelência operacional, denominado por Intralogística.

No âmbito da Filosofia, logística também é a palavra usada para descrever a lógica formal, que é oposta à lógica tradicional abordada por Aristóteles.

De acordo com o Instituto IMAM, “Logística é a Arte e a Ciência do Fluxo de Materiais”, onde a Arte representa a intuição, a essência, a criatividade, os princípios que fazem uma solução funcionar com harmonia e equilíbrio e a Ciência que representa a lógica, o racional, os fluxos financeiros e de informações associados ao Fluxo de Materiais.

Enfim, com tudo isso, a Logística também é uma derivação da álgebra e da lógica matemática e faz parte do dia a dia das pessoas, quando as mesmas tomam decisões simples, tais como: abastecer com álcool ou gasolina; ir de trem, ônibus ou metrô; fazer compras mensais no supermercado ou semanais... Enfim, a boa logística melhora a condição de vida das pessoas, do seu trabalho e das empresas.

Daí a nossa forte convicção de que logística deve, desde a tenra idade, fazer parte do sistema educacional das pessoas até como forma de tornar o mundo melhor.

*Eduardo Banzato é diretor do IMAM, empresa que há 37 anos atua na logística e integra os negócios de Consultoria, Treinamento e Instituto.


Fonte: Vervi Assessoria de Imprensa



Outros artigos:

Tecnologia de informação aplicada a logística

Logística: 3 passos para a rentabilidade em transportadoras

Novas ideias para a logística brasileira




Compartilhe:




Comente