Busca rápida
barra
Busca detalhada

Home > Artigos > ''Super Currículo'' gera dúvidas em empregadores


''Super Currículo'' gera dúvidas em empregadores

Segundo Portal Infojobs, de classificados de empregos e currículos, candidatos devem preencher competências com objetividade e manter equilíbrio entre experiência e especialização

O INFOJOBS - portal de classificados de empregos e currículos-, constatou segundo dados dos currículos e vagas de emprego cadastradas na web, que candidatos que apostam no “Super Currículo”, com competências sofisticadas têm menor probabilidade de encontrar emprego para aqueles que valorizam a qualificação com objetividade.

“O fato é que muitos acreditam que em um mercado cada vez mais exigente, super valorizar e incluir o máximo de cursos e experiências possa abrir portas, mas acontece exatamente o contrário. Evitamos recolocar profissionais em posições menores, onde há mais vagas, por mais que eles se mostrem dispostos a aceitar”, explica Tânia Bueno gerente de RH da Laselva.

Durante a recolocação é comum os profissionais baixarem suas expectativas e perderem o foco, como por exemplo, cadastrar-se para uma vaga de assistente de marketing, tendo mestrado e doutorado, quando na verdade este profissional deveria seguir com a atuação acadêmica ou para que pudesse ter resultados positivos na carreira, já estar atuando no mercado como profissional antes de optar por uma especialização.

Reforçamos que o profissional deve buscar qualificação para atender a vaga que queira ocupar e não buscar superqualificar para não gerar dúvida no empregador. “Muitas empresas temem contratar alguém com tantas competências, por desconfiar de que possa haver algo de errado com o profissional”, conta Cecília Rojas, diretora geral da Anuntis/Infojobs no Brasil.

Segundo Tânia, o currículo deve manter um equilíbrio entre experiência e qualificação, que vai gerar a competência necessária para conquistar a vaga de emprego. “Muitos profissionais apresentam um currículo acadêmico invejável, mas não tem experiência profissional para equilibrar ou o inverso, tem experiência, mas falta a especialização”.

Dos cerca de 4 milhões de currículos cadastrados no Infojobs, 54% da base de operação é composta por candidatos com 1º e 2º grau completo, 900 mil currículos com superior em andamento ou incompleto, 750 mil com graduação completa e 250 mil com pós-graduação.

Diariamente, o Infojobs potencializa a rapidez com que o recrutador encontrará o perfil de profissional desejado. “Atuamos como um canal qualificado de serviços e apoio ao RH das empresas, ao otimizar o tempo do recrutador, com inúmeros serviços e novos produtos. A qualidade do profissional que a empresa busca está assegurada, pois nossa área de captação de vagas está alinhada com o RH das empresas, buscando o profissional no perfil desejado, por meio de ações inovadoras”, conta Cecília.

Para se ter uma ideia da potência do recrutamento online, somente no site Infojobs, é incluída uma nova oportunidade por minuto. Nos últimos três meses, foram 41 milhões de vagas buscas por emprego. Além disso, são vistos 13 currículos por segundo e pré-selecionado 5 candidatos no mesmo tempo. Por fim, uma vaga é visualizada a cada 0,27 segundo.

Com relação à quantidade de vagas disponíveis para cada setor, a diretora do Infojobs explica que as recordistas são as áreas de comercial, indústria e construção, tecnologia e telecomunicações e gastronomia e restaurante em todos os níveis hierárquicos.

Sobre a Infojobs (www.infojobs.com.br)
É um site de classificados de empregos online, que oferece tecnologia de ponta e ferramentas avançadas de filtros que atuam como facilitadores ao colocar candidatos e empresas em contato, considerando os interesses de ambos. A empresa iniciou suas operações no Brasil em 24 de março de 2004, como infoemprego.com.br e, em março de 2007 recebeu uma nova plataforma tecnológica e uma nova marca, proveniente do site líder do grupo na Espanha, na categoria Empregos: Infojobs.net.

Fonte: KB COMUNICAÇÃO!



Outros artigos:

Tecnologia e logística são aliadas na geração de resultados

Economia criativa gera novos valores

A nova geração: a universalização da comunicação




Compartilhe:




Comente